Receba gratuitamente todos os nossos conteúdos.

Fique por dentro das novidades e oportunidades referentes à Psicometria e Análise Quantitativa de Dados.

Compreendendo os índices de validade de conteúdo

Ao desenvolver qualquer tipo de teste psicológico, é crucial garantir que eles meçam o que pretendem avaliar. Nesse contexto, entra em cena o conceito de evidência de validade de conteúdo.

A evidência de validade de conteúdo é uma das várias fontes de evidência utilizadas para avaliar a validade de um teste.

Essa análise envolve a revisão cuidadosa dos itens, das tarefas ou das questões do teste para garantir que eles sejam relevantes, abrangentes e alinhados com os objetivos da avaliação.

Nesse post vamos abordar três métodos que podem ser utilizados para avaliar a validade de conteúdo de um teste:

1) Índice de Validade de Conteúdo (IVC), 2) Razão de Validade de Conteúdo (RVC) e 3) Coeficiente de Validade de Conteúdo (CVC).

Índice de Validade de Conteúdo – IVC

Podemos definir o Índice de Validade de Conteúdo (IVC) como a proporção ou porcentagem de juízes em concordância sobre a relevante teórica do item.

Como funciona o IVC

Para calcular o IVC, é necessário reunir um grupo de especialistas no domínio específico do construto em questão. Esses especialistas avaliam cada item do instrumento com base na relevancia teórica do item de acordo com o construto que está sendo estudado.

Portanto, devemos solicitar aos especialistas que classifiquem a relevância de cada item do instrumento. Geralmente usamos uma escala de 4 pontos para essa avaliação.

1 = item não relevante;

2 = item necessita de revisão para ser avaliada a relevância;

3 = item relevante, necessita de pequenas alterações;

4 = item absolutamente relevante.

O cálculo do IVC basta somar as respostas 3 e 4 dos especialistas e dividir o resultado dessa soma pelo número total de respostas obtidas para o item.

Nesse nosso outro post, você tem todos os detalhes sobre como como calcular o índice de validade de conteúdo.

Razão de Validade de Conteúdo – RVC

A Razão de Validade de Conteúdo é uma outra técnica utilizada para avaliar a validade de um instrumento psicológico em relação ao conteúdo das questões ou itens.

Nela, os especialistas avaliam a relevância do item em 3 categorias:
▪ Desnecessário
▪ Útil, mas não essencial
▪ Essencial

A ideia central desse é que permaneçam no teste os itens que tenham alto grau de concordância na categoria ‘Essencial.

Como funciona a Razão de Validade de Conteúdo

Para calcular a Razão de Validade de Conteúdo, os especialistas revisam todo o instrumento e atribuem pontuações para cada item, indicando sua relevância e adequação ao construto que está sendo medido.

Essas pontuações geralmente são baseadas em uma escala, como uma escala Likert, em que os especialistas atribuem valores que refletem o grau de relevância de cada item (desnecessário, útil, mas não essencial e essencial).

Após a coleta das pontuações de todos os especialistas, a Razão de Validade de Conteúdo é calculada pela pontuações atribuídas como essencial e o número de juízes a todos os itens do instrumento.

Você pode utilizar essa formula:

Valores variam de -1 (Discordância total) a +1 (Concordância total). Esse valor é então interpretado como uma medida da validade geral do conteúdo do instrumento.

Coeficiente de Validade de Conteúdo – CVC

O Coeficiente de Validade de Conteúdo é uma técnica que consideramos mais completa do Índice de Validade de Conteúdo e a Razão de Validade de Conteúdo, pois fornece medidas individuais dos itens relacionadas a três critérios: clareza da linguagem, pertinência prática e relevância teórica.

Outro ponto em que o CVC se destacada dentre os outros dois métodos anteriores, é que o calculo leva em consideração o viés dos especialistas. Vamos ver em mais detalhes como o CVC funciona.

Como funciona o CVC

Para calcular o Coeficiente de Validade de Conteúdo, é necessário que os juízes especialistas revisem cada item do instrumento e atribuam pontuações que refletem o grau de clareza da linguagem, pertinência prática e relevância teórica de cada item, geralmente utilizando uma escala de pontuação Likert de 1 a 5.

O Coeficiente de Validade de Conteúdo é calculado pela fórmula:

Coeficiente de Validade de Conteúdo = (média das pontuações dos especialistas) / (Número máximo possível de pontuação) – viés.

Onde, viés = (1/número de juízes)número de juízes

Esse coeficiente é interpretado como uma medida da validade do conteúdo para cada item e para cada um dos critérios, indicando o quanto os itens refletem adequadamente o construto que está sendo medido.

Principais diferenças entre os três métodos: IVC x RVC x CVC

– O Índice de Validade de Conteúdo reflete a proporção de especialistas que consideram cada item relevante.

– Razão de Validade de Conteúdo permanecem no teste os itens que apresentam alto grau de concordância na categoria ‘Essencial’

– Coeficiente de Validade de Conteúdo reflete o grau de clareza da linguagem, pertinência prática e relevância teórica de cada item.

FAQs – Validade de Conteúdo

Como selecionar especialistas para a avaliação de conteúdo?

Geralmente são profissionais com formação acadêmica e experiência prática relacionada ao tema. Portanto, você pode selecionar os especialistas por meio das publicações, currículo Lattes e da trajetória profissional.

Quantos especialistas são necessário para a avaliação de conteúdo?

A literatura recomenda de três a cinco juízes. Sendo que a qualidade dos juízes, ou seja, a expertize deles relacionadas ao tema é extremamente importante. Pois, esses juízes avaliarão a utilizade, clareza dos itens, relevância prática, etc e portanto, precisam dominar o tema do teste.

Qual é o valor mínimo aceitável para os métodos citados?

Geralmente, busca-se um coeficiente mais alto, indicando uma maior validade do conteúdo do instrumento. Todavia, a literatura traz como referência o valor igual ou superior a 0.80 para qualquer um dos métodos que abordamos.

Posso utilizar uma combinação de métodos, por exemplo usar o Coeficiente de Validade de Conteúdo em conjunto com o Índice de Validade de Conteúdo e a Razão de Validade de Conteúdo?

Sim, é possível mas não é necessário combinar os métodos de validade de conteúdo. A resposta para essa pergunta ficará mais clara a seguir.

Dentre os três métodos, qual seria a melhor escolha?

Os três métodos são adequados. Porém, o Coeficiente de Validade de Conteúdo fornece coeficientes sobre cada item para três critérios avaliados. Além disso, o calculo leva em consideração o viés dos especialistas. Portanto é mais completo do que o IVC e o RVC, sendo desnessário o uso combinado com Índice de Validade de Conteúdo e a Razão de Validade de Conteúdo.

Conclusão

O Índice de Validade de Conteúdo, Razão de Validade de Conteúdo e o Coeficiente de Validade de Conteúdo são técnicas valiosas que contribuem para a qualidade dos itens e do instrumento como um todo.

Compreender as diferenças entre essas técnicas permite uma aplicação mais adequada, fortalecendo assim a validade dos instrumentos utilizados na prática.

Gostou desse conteúdo? Precisa aprender Análise de dados? Faça parte da Psicometria Online Academy: a maior formação de pesquisadores quantitativos da América Latina. Conheça toda nossa estrutura aqui e nunca mais passe trabalho sozinho(a).

BRUNO FIGUEIREDO DAMÁSIO

Sou Psicólogo, mestre e doutor em Psicologia. Venho me dedicando à Psicometria desde 2007.

Fui professor e chefe do Departamento de Psicometria da UFRJ durante os anos de 2013 a 2020. Fui editor-chefe da revista Trends in Psychology, da Sociedade Brasileira de Psicologia (SBP) eEditor-Associado da Spanish Journal of Psychology, na sub-seção Psicometri e Métodos Quantitativos.

Tenho mais de 50 artigos publicados e mais de 3000 citações, nas melhores revistas nacionais e internacionais. Atualmente, me dedico a formação de novos pesquisadores, através da Psicometria Online Academy. Minha missão é ampliar a formação em Psicometria no Brasil e lhe auxiliar a conquistar os seus objetivos profissionais.

Deseja se tornar completamente autônomo e independente na análise dos seus dados?

2 respostas

  1. Vocês podem compartilhar mais materiais que falem sobre o Coeficiente de Validade de Conteúdo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja mais

Posts relacionados

Um Guia Completo sobre a PEDro: Physiotherapy Evidence Database

Um Guia Completo sobre a PEDro: Physiotherapy Evidence Database

Se você é um profissional ou um estudante da área da saúde e está interessado nas práticas baseadas em evidências, este post é para você. Vamos descobrir como a base

Diferença entre as regressões logísticas: binária, ordinal e multinomial

Diferença entre as regressões logísticas: binária, ordinal e multinomial

A análise de regressão é uma técnica amplamente utilizada para verificar a existência de uma relação entre uma variável dependente e uma ou mais variáveis independentes. Existem diferentes tipos de

Construção de itens para instrumentos de autorrelato

Construção de itens para instrumentos de autorrelato

A elaboração de itens para instrumentos de autorrelato desempenha um papel crucial na pesquisa psicométrica, pois é por meio deles que os participantes expressam suas próprias experiências e percepções. Neste

Dados Normativos: Entendendo o Escore Z

Dados Normativos: Entendendo o Escore Z

Interpretar os resultados derivados do uso de um teste é tão crucial quanto criar ou adaptar os instrumentos e aplicá-los corretamente. Para a interpretação dos resultados, é essencial a criação

Compreendendo a Confiabilidade Duas-Metades (Split-Half Reliabity)

Compreendendo a Confiabilidade Duas-Metades (Split-Half Reliabity)

No campo da Psicometria, pesquisadores e profissionais frequentemente buscam garantir a precisão e consistência de seus instrumentos de medição. Um dos métodos usados para avaliar a confiabilidade de um teste

Um Guia Completo sobre a PEDro: Physiotherapy Evidence Database

Um Guia Completo sobre a PEDro: Physiotherapy Evidence Database

Se você é um profissional ou um estudante da área da saúde e está interessado nas práticas baseadas em evidências, este post é para você. Vamos descobrir como a base

Diferença entre as regressões logísticas: binária, ordinal e multinomial

Diferença entre as regressões logísticas: binária, ordinal e multinomial

A análise de regressão é uma técnica amplamente utilizada para verificar a existência de uma relação entre uma variável dependente e uma ou mais variáveis independentes. Existem diferentes tipos de

Construção de itens para instrumentos de autorrelato

Construção de itens para instrumentos de autorrelato

A elaboração de itens para instrumentos de autorrelato desempenha um papel crucial na pesquisa psicométrica, pois é por meio deles que os participantes expressam suas próprias experiências e percepções. Neste

Dados Normativos: Entendendo o Escore Z

Dados Normativos: Entendendo o Escore Z

Interpretar os resultados derivados do uso de um teste é tão crucial quanto criar ou adaptar os instrumentos e aplicá-los corretamente. Para a interpretação dos resultados, é essencial a criação

Compreendendo a Confiabilidade Duas-Metades (Split-Half Reliabity)

Compreendendo a Confiabilidade Duas-Metades (Split-Half Reliabity)

No campo da Psicometria, pesquisadores e profissionais frequentemente buscam garantir a precisão e consistência de seus instrumentos de medição. Um dos métodos usados para avaliar a confiabilidade de um teste

Cadastre-se para ser notificado com o link das aulas ao vivo:

Módulo 4: Redes neurais artificiais

• Introdução a Deep Learning

• Avaliando sistemas de Deep Learning

• Redes Neurais feitas (sem programação) no SPSS

• Aula bônus: O futuro da IA na Sociedade

• Aula bônus: Dois Estudos de Caso 

Módulo 3: Interpretar e reportar resultados

• Gerar, interpretar e reportar resultados em Machine Learning

Módulo 2: Criando o seu sistema

• Selecionando algoritmos e métodos 
• Práticas de Machine Learning (Sem programação): Decision Tree (JASP), Linear Discriminant Classification (JASP) e Plataforma ORANGE
• Aula Bônus: Avaliação Psicológica e Machine Learning
• Aula Bônus: Livros e Cursos recomendados  
• Aula Bônus: Entrevista com Cientista de Dados focado na área da Saúde

Módulo 1: O que é Machine Learning

• O que é Machine Learning?
• Como a máquina aprende?
• Machine Learning para Psicometria e Pesquisa Quantitativa (pesquisas comentadas)
• Tipos de Machine Learning (Supervisionado e Não-supervisionado)
• Práticas de Machine Learning (Sem programação): JASP e SPSS
Aula Bônus: Filosofia da Inteligência Artificial
• Aula Bônus: Entrevista com Cientista de Dados graduado em Psicologia
• Aula bônus: Estudo de Caso sobre Redução Dimensional 

Preencha abaixo para
participar gratuitamente

Fique tranquilo, não utilizaremos suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM. Os dados coletados são tratados nos termos da Lei Geral de Proteção de Dados e você pode se descadastrar da nossa lista de contatos a qualquer momento.